sábado, 18 de julho de 2009

Profanalha NU Rio

a flecha de são sebastião
como ogum de pênis/faca
perfura o corpo da glória
das entranhas ao coração

do catete ao largo do machado
onde aqui afora me ardo
como bardo do caos urbano
na velha aldeia cariOCA

sem nenhuma palavra bíblica
ou muito menos avária
orgasmo é falo no centro
lá dentro da candelária

arrancar do gesto
a palavra chave
da palavra a imagem xis
tudo por um risco
tudo por um triz

o trem/bala cospe esqueletos
no depósito da central
fuzil pode ser nosso brinquedo
novo enredo para o próximo carnaval

artur gomes
http://tropicanalice.blogspot.com/

2 comentários:

J. Araújo disse...

Passei para apreciar suas poesias e desejar um bom domingo.


Abraço

Candoca disse...

Oi
Gostaria de te convidar para conhecer meu blog:
camadegatogoytaca.blogspot.com
Um abraço
candoca