quarta-feira, 11 de março de 2009

Martírio



Te seguro com força
sem fazer barulho
a barba desliza entre os seios
e embaixo do meu sol de girassóis.
À noite a sombra faz figuras na janela
são os pequenos expectadores da nossa aquarela.
Me alimento com o cheiro do seu corpo
e com as mãos desenho carinho nas suas costas;
sugo seu hálito com desespero
só para satisfazer a minha inquietude
e o teu desejo pertence à mim também.

Te trago de volta na ponta da caneta,
nas aventuras das minhas madrugadas de março
onde dou as costas ao juízo
e acabo comigo aos poucos
quando insisto em provar de novo seu veneno.

Ana Paula Lima

Nenhum comentário: