terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Sinfonia do Silêncio

estranho esta forma
de dizer o que não falo
e o que falo muitas vezes
não diz tudo
e quando fala esconde o elo
entre o corredor e a sala
na cama o silêncio
é mais que um grito
mergulha fundo
no poema Não escrito

Artur CArNAvalhaGumes

Nenhum comentário: