quarta-feira, 12 de novembro de 2008

em ti a dimensão humana
me evoca aos deuses mais sagrados
ao amor que vem de outros planos
fosse o mais simples desejo mais profundo
fosse a musa de uma arte inalcansável
ou mesmo parte desta arte que me sangra
fosse a carne santa o corpo inatingível
a flama o fluxo do sangue que não cessa
e a infinita chama do suor que me consome
a flor da pele ou a pele do meu nome
o falar do dia a dia o cotidiano
como a saga mais humana
deste ritual sacro e profano

arturcarNAvalhagumes
http://poeticasfulinaimicas.blogspot.com

Nenhum comentário: